Corte no açúcar, pelo bem do seu coração
O consumo excessivo de açúcar pode colocar em risco o seu coração. Doenças como a Diabetes estão associadas a uma ingestão em demasia de açúcar e afeta, tanto a população adulta, como a mais jovem. No Dia Mundial do Coração, que se celebra a 29 de Setembro, olhe pelo seu e de toda a sua família.
Consumo excessivo de açúcar
O consumo de açúcares simples ou adicionados a alimentos tem sido associado ao excesso de peso/obesidade e, consequentemente, ao risco de desenvolvimento de outras doenças, como é o caso da Diabetes. 

De acordo com a Direção Geral de Saúde, é estimado que o consumo de açúcares simples seja, de um modo geral, superior às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). No caso de Portugal, durante o período de 2013/2014, a disponibilidade de açúcar per capita foi de 34,4 kg/ano, o que equivale a 94 g/dia, ou seja, 376 kcal/dia.
Tendo em conta que o consumo de açúcar deve ser inferior a 10% do total do valor energético total (VET) diário (2000 kcal), ou seja, 200 kcal, seria desejável a redução média de aproximadamente 176 kcal/dia provenientes da ingestão de açúcar.

A entidade nacional refere ainda que é nos refrigerantes que se encontra uma das maiores fontes de açúcar excessivamente ingerido. A nível global, nas últimas décadas tem-se verificado uma tendência crescente no consumo destas bebidas, especialmente pelas crianças. No caso de Portugal, entre 1990 e 2012, a disponibilidade de refrigerantes duplicou, passando de 101,9 ml por habitante/dia em 1990, para 203,6 ml por habitante/dia em 2012, destacando que os refrigerantes à venda no País possuem valores muito díspares de açúcares adicionados.

Além da obesidade, o consumo elevado de açúcares simples encontra-se associado ao aumento dos triglicerídeos no sangue, ao aumento da pressão arterial e à diminuição do HDL, fatores estes que estão associados ao risco aumentado de doença cardiovascular.
Neste âmbito, um estudo publicado na revista Lancet Diabetes & Endocrinology, destaca que uma redução progressiva de cerca de 40% do açúcar adicionado às bebidas açucaradas (incluindo os sumos de fruta) ao longo de cinco anos, poderá contribuir, em média, para a redução da ingestão energética de 38,4 kcal por dia, o que resultará numa perda média de peso em adultos de 1,20kg. Além disso, informa ainda a mesma investigação, esta redução poderá prevenir mais de 250 mil novos de casos de diabetes tipo 2, relacionados com a obesidade.
Olhe pelas suas crianças
De acordo com dados divulgados pela APCOI – Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil, 155 milhões de crianças em todo o mundo e em idade escolar têm excesso de peso ou sofrem de obesidade.

A Comissão Europeia revela que Portugal está entre os países mais afetados por este problema e é estimado que uma em cada três crianças tem este problema de saúde. Segundo o estudo 2013-2014 da APCOI, que contou com 18.374 crianças (uma das maiores amostras neste tipo de investigação), 33,3% das crianças entre os dois e os 12 anos têm excesso de peso, das quais 16,8% são obesas.

Os dados existentes em Portugal sobre a ingestão de açúcar revelam ainda que em crianças com quatro anos de idade, consumos mais elevados de alimentos com elevada densidade energética, onde se incluem os refrigerantes e néctares, estão associados a baixos consumos de fruta e hortícolas e a um padrão alimentar menos saudável. O consumo excessivo de açúcar está também associado à insulinorresistência e diabetes mellitus tipo 2. 
Aposte no que é natural
Sendo os refrigerantes um dos principais produtos que levam a uma excessiva ingestão de açúcar diária, especialmente nas crianças, é importante a mudança destes hábitos. Opte por sumos naturais, com 100% de fruta, sem corantes, conservantes, nem aditivos. Feitos a partir de fruta biológica, os Sumos de Fruta Biológica são uma boa opção para os mais pequenos, podendo ainda aproveitar ainda os benefícios da fruta.

Já para poder controlar os níveis de açúcar adicionados aos alimentos, opte pelos adoçantes de origem vegetal. O facto de ter de cortar no açúcar não quer dizer que tenha de deixar de comer ou beber o que quer que seja doce. Assim como também o facto de ser um adoçante de fonte vegetal não implica que o possa ingerir sem nenhum tipo de precaução. Pelo seu baixo índice glicémicos, os Adoçantes Naturais são, assim, opções ideais para substituir o açúcar refinado nas mais diversas utilizações.

Estes produtos podem sem utilizados para adoçar bebidas vegetais, chás, bebidas de cereais e café; Enriquecer papas, cereais de pequeno-almoço, iogurtes e batidos; Para barrar em tostas, bolachas de arroz e torradas; Para cobertura de panquecas e recheio de bolos; ou conferir sabor e enriquecer a nível nutricional pães, bolachas e barras.
Alimentos amigos do seu coração
São vários os alimentos que podem ser grandes aliados do seu coração, por ajudarem a prevenir doenças relacionadas com o Sistema Cardiovascular.
Um dos exemplos é o Mirtilo. Rico em vitaminas e minerais, como o cálcio, ferro, magnésio, fósforo, zinco e selénio, este fruto ajuda ainda a prevenir a formação de placas nos vasos sanguíneos e a melhorar a circulação cerebral. Quando inserido na alimentação no seu estado mais puro (consultar aqui), devido à sua riqueza em antioxidantes, os Mirtilos ajudam a prevenir doenças cardiovasculares, entre as quais o colesterol e a diabetes.

A Fibra dietética é uma classe de compostos de origem vegetal que quando ingeridos, não sofrem hidrólise, digestão e absorção no intestino delgado, pelo que proporcionam um efeito benéfico no controlo da diabetes. Podem ser classificados em duas categorias, fibras solúveis e insolúveis. Os alimentos mais ricos em fibras solúveis são a aveia, cevada, verduras, leguminosas, maçã e citrinos (consultar aqui e aqui). Por outro lado, os alimentos mais ricos em fibras insolúveis são os vegetais de folha verde, cereais integrais e farelo de trigo (consultar aqui). Recomenda-se a ingestão diária de pelo menos 25 g/dia de fibra para a sua ação benéfica.

Também os Cranberries são um ótimo alimento para introduzir na alimentação, pois pelo seu poder antioxidante, ajuda a controlar os níveis de colesterol e triglicéridos no sangue, protegendo o sistema cardiovascular e beneficiando ainda no tratamento de úlceras (consultar aqui).
Fontes:
Redução do consume de açúcar em Portugal [Internet]. Direção Geral de Saúde. [Acedido em 2016 Setembro]. 
http://nutrimento.pt/activeapp/wp-content/uploads/2016/09/Reducao-do-Consumo-de-acucar-em-Portugal.-pdf.pdf
Obesidade infantil [Internet]. Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil. [Acedido em 2016 Setembro].
ttp://www.apcoi.pt/obesidade-infantil
Fale Connosco
Ao usar este website, está a aceitar a utilização de cookies para análise, conteúdo personalizado e apresentação de anúncios.